sexta-feira, 1 de maio de 2009

Deserto de Gelo

Durante os meus sonhos a minha alma viaja,
Viaja por um deserto de gelo, o deserto de frio e solidão,
Ao qual você me atirou;

Rastejo e luto contra o vento,
E sei que este vento que me corta e sangra minha alma,
É o mesmo que acariciou nossas faces,
Nas inúmeras vezes em que nossos lábios se tocaram diante de multidões e,
Mesmo assim éramos únicos no mundo

Estou agora preso, no deserto de gelo, e o único oásis real está em minha mente,
Que vive agora no passado.
Em minha mente que nada mais tem de consciência,
Apenas o que lhe resta é insanidade e frio, o triste frio da solidão.

Minha prisão, dentro de mim mesmo,
É o castigo de um ser que se entregou a amar demais,
É meu rumo sem destino, vagando pelo infinito deserto de gelo.

Kilder Leon
03/04/2009

3 comentários:

  1. Sua poesia é linda, mas espero que realmente não esteja se sentindo assim porque você é jovem e lindo!

    ResponderExcluir
  2. Putz, genial. A poesia é realmente linda...

    ResponderExcluir
  3. Caramba Kikoo quaze choro aqui lendo!!!

    ResponderExcluir